[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]
DIRETO DO BLOG
Lançamento em breve do livro "Catalisando a Economia Circular"!
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular no Cenário do COVID-19
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

DIRETO DO BLOG
O Setor de Borracha na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Políticas públicas voltadas para Economia Circular:
Um olhar sobre as experiências na Europa e na China
DIRETO DO BLOG
Iniciativas de Economia Circular na Indústria do Aço
DIRETO DO BLOG
Potencial do Biogás no Gerenciamento de Resíduos
e Sua Inserção na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Cadeias Produtivas e Governança
no Contexto da Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Uma Visão dos Modelos de Negócios Circulares
DIRETO DO BLOG
Princípios, perspectivas e aplicação
do Chemical Leasing nos processos
de produção visando a sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular Além dos Horizontes
DIRETO DO BLOG
Logística Reversa na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
A Simbiose Industrial além das fronteiras
previous arrow
next arrow
Slider

Adeus acordo?

A destruição da demanda parece ter minado a maior tentativa de resgatar a indústria global de petróleo. Há cerca de duas semanas, os maiores produtores de petróleo do mundo acordaram a redução da produção para defender os mercados de energia. Mas, com os preços caindo abaixo de zero nos EUA, OPEP e parceiros se viram impotentes e buscam outras medidas para impedir a derrocada, com muitas conversas, mas poucas opções para deter o colapso da demanda.

Embora os cortes de produção sugeridos pela OPEP sejam historicamente grandes, com cerca de 10% da oferta mundial, eles foram engolidos pela perda de demanda: segundo a Agência Internacional de Energia, o consumo cairá 29 milhões de barris por dia, ou seja, mais do que todo o petróleo bombeado pelos 13 membros da Opep.

Arábia Saudita e Rússia disseram que estão “preparados para tomar outras medidas”, mas não se sabe se têm realmente capacidade para isso porque o atual acordo já exige um sacrifício considerável de Riad, e não se tem certeza se Rússia e Iraque ainda cumprirão as restrições já acordadas ou se comprometerão com reduções adicionais.

Simplesmente seguir o acordo empurra o ônus do ajuste para outros produtores, como os EUA, Brasil e Canadá.

A indústria do Mar do Norte já admite que será necessária a ajuda do governo para proteger toda a cadeia de suprimentos, empregos e a capacidade de continuar se reposicionando para o futuro. No Reino Unido, já se buscam medidas para que o governo apoie a indústria de petróleo e gás além dos pacotes de suporte de vários bilhões de libras lançados para a indústria em geral nas últimas semanas.

Todos com o horizonte de que o cenário é pior para as descobertas e os novos projetos: os preços de equilíbrio para descobertas no Reino Unido estava a US $ 30 / b, e que significa que, a US $ 20 / b, nenhum projeto é financeiramente viável.

REDES SOCIAIS_