[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular no Cenário do COVID-19
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

DIRETO DO BLOG
O Setor de Borracha na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Políticas públicas voltadas para Economia Circular:
Um olhar sobre as experiências na Europa e na China
DIRETO DO BLOG
Iniciativas de Economia Circular na Indústria do Aço
DIRETO DO BLOG
Potencial do Biogás no Gerenciamento de Resíduos
e Sua Inserção na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Cadeias Produtivas e Governança
no Contexto da Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Uma Visão dos Modelos de Negócios Circulares
DIRETO DO BLOG
Princípios, perspectivas e aplicação
do Chemical Leasing nos processos
de produção visando a sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular Além dos Horizontes
DIRETO DO BLOG
Logística Reversa na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
A Simbiose Industrial além das fronteiras
previous arrow
next arrow
Slider

Solvay investe em nova linha de fibra de carbono para aplicação aeroespacial

Solvay anunciou que inaugurou uma nova linha de produção de fibra de carbono em sua planta em Piedmont, na Carolina do Sul, EUA.

A nova linha duplica a capacidade de produção da Solvay de uma matéria-prima chave para produção de fibra de carbono reforçada. Segundo a Solvay, a nova linha foi introduzida para atender à crescente demanda por materiais compósitos leves para a indústria aeroespacial. A  empresa não revelou nenhuma parceria financeira para o investimento.

A nova linha de produção recebeu qualificação da Boeing Company para ser utilizada na fabricação de estruturas secundárias, como a aba móvel da asa, o suporte do motor nas aeronaves, denominado nacela, e aplicações interiores. Materiais compósitos reforçados ajudam a reduzir o peso das peças e consumo de combustível na indústria aeroespacial. Além disso, os compósitos permitem a moldagem de múltiplos subcomponentes em uma peça, reduzindo o número de peças necessárias, bem como os custos de montagem.

Os materiais compostos com fibra de carbono possuem resistência necessária para aplicação de forma segura na substituição de metais em aeronaves, reduzindo emissões de ruído e minimizando a emissão de CO2.

Fonte: MaxiQuim

REDES SOCIAIS_