[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular no Cenário do COVID-19
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

DIRETO DO BLOG
O Setor de Borracha na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Políticas públicas voltadas para Economia Circular:
Um olhar sobre as experiências na Europa e na China
DIRETO DO BLOG
Iniciativas de Economia Circular na Indústria do Aço
DIRETO DO BLOG
Potencial do Biogás no Gerenciamento de Resíduos
e Sua Inserção na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Cadeias Produtivas e Governança
no Contexto da Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Uma Visão dos Modelos de Negócios Circulares
DIRETO DO BLOG
Princípios, perspectivas e aplicação
do Chemical Leasing nos processos
de produção visando a sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular Além dos Horizontes
DIRETO DO BLOG
Logística Reversa na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
A Simbiose Industrial além das fronteiras
previous arrow
next arrow
Slider

Anellotech avança no desenvolvimento de componente chave para o PET 100% de fontes renováveis

Anellotech, uma empresa americana de tecnologia sustentável focada na produção de produtos químicos renováveis, possui uma parceria com a empresa de bebidas Suntory Holdings Limited, para o desenvolvimento tecnológico de um processo de produção de benzeno, tolueno e xileno derivados de biomassa, com o mesmo desempenho dos produtos derivados de fontes fósseis e com custo competitivo.

Anellotech denominou o processo de Bio-TCAT e após comprovar a confiabilidade à nível laboratorial, a empresa decidiu recentemente construir uma fábrica de desenvolvimento e testes em Silsbee, Texas, EUA. Anellotech pretende concluir a construção e iniciar a operação ainda em 2016. A planta deve fornecer os dados necessários para projetar plantas comerciais que utilizem a tecnologia Bio-TCAT.

Anellotech pretende usar biomassa não alimentar (cavaco de madeira, palha de milho e bagaço) para produzir paraxileno, um precursor do ácido tereftálico (TPA), que compõe 70% da resina PET e é componente chave para produção de garrafas PET 100% derivadas de fontes renováveis.

Suntory utiliza atualmente 30% de matéria-prima de fontes renováveis para produção de suas garrafas PET. Com a parceria, a Suntory pretende desenvolver garrafas PET 100% derivadas de fontes renováveis, utilizando o MEG derivado de fontes renováveis que já está disponível comercialmente e o TPA produzido com o paraxileno da Anellotech.

Suntory, com sede localizada no Japão, opera em várias regiões do mundo, incluindo a Ásia, Oceania, Europa e os EUA. A parceria com a Anellotech começou em 2012 sob um acordo de colaboração que já forneceu mais de US$ 15 milhões em financiamento para o projeto. Além da Suntory, Anellotech recebeu apoio de outro parceiro corporativo multinacional, que investiu $7 milhões em 2015.

A unidade de demonstração foi projetada conjuntamente pela Anellotech e seu parceiro IFPEN e utilizará um novo catalisador desenvolvido em conjunto com a Johnson Matthey. Axens é parceira para industrialização, comercialização, licenciamento global e suporte técnico.

Fonte: MAXIQUIM

REDES SOCIAIS_