[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]
DIRETO DO BLOG
Lançamento em breve do livro "Catalisando a Economia Circular"!
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular no Cenário do COVID-19
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

DIRETO DO BLOG
O Setor de Borracha na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Políticas públicas voltadas para Economia Circular:
Um olhar sobre as experiências na Europa e na China
DIRETO DO BLOG
Iniciativas de Economia Circular na Indústria do Aço
DIRETO DO BLOG
Potencial do Biogás no Gerenciamento de Resíduos
e Sua Inserção na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Cadeias Produtivas e Governança
no Contexto da Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Uma Visão dos Modelos de Negócios Circulares
DIRETO DO BLOG
Princípios, perspectivas e aplicação
do Chemical Leasing nos processos
de produção visando a sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular Além dos Horizontes
DIRETO DO BLOG
Logística Reversa na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
A Simbiose Industrial além das fronteiras
previous arrow
next arrow
Slider

Brasil continua sendo principal destino do etanol dos EUA: exportações batem recorde em 2017

Enquanto o Brasil importou mais etanol do que exportou em 2017, os EUA ficaram com uma balança comercial altamente favorável. O país exportou 5,2 bilhões de litros de etanol e importou apenas 291 milhões de litros.

Dados divulgados pelo governo dos Estados Unidos confirmam que as exportações de etanol do país bateram um novo recorde em 2017, atingindo a marca de 5,19 bilhões de litros e com envio para mais de 60 países. No ano, o total das exportações do etanol estadunidense subiu 17% em relação a 2016 e superou o recorde de 2011 em cerca de 658,66 milhões de litros.

Em conjunto com a divulgação de dados, a Associação de Combustíveis Renováveis (RFA, na sigla em inglês) divulgou um resumo detalhado das exportações de etanol de 2017 e estatísticas de importação do etanol.

O Brasil foi o principal destino de exportação do etanol dos Estados Unidos, recebendo 1,69 bilhão de litros ou 33% do total de embarques. O Canadá, por sua vez importou 1,24 bilhão de litros dos Estados Unidos, enquanto a Índia comprou 654,88 milhões. Filipinas e a Coreia do Sul completaram os cinco principais destinos de 2017.

Os volumes de exportação para nove dos 10 principais destinos aumentaram em relação aos dados de 2016. Brasil, Índia, Holanda, Cingapura e Emirados Árabes Unidos apresentaram os maiores crescimentos.

Ao mesmo tempo, depois de ser o terceiro maior mercado para o etanol dos Estados Unidos em 2016, a China terminou o ano fora da lista dos 10 principais destinos. As exportações para o país asiático caíram em quase 90% por conta de novas tarifas implementadas.

“Mesmo enfrentando uma política comercial negativa em 2017, a indústria de etanol dos EUA entregou volumes recordes de combustível de baixo custo e alta octanagem para o mercado mundial”, afirmou o presidente e CEO da RFA, Bob Dinneen. Ele ainda completa: “[Os Estados Unidos] ofereceram um combustível mais limpo a um preço menor para os consumidores em todo o mundo. A indústria de etanol dos Estados Unidos orgulha-se dessa conquista e espera continuar a crescer no mercado global de etanol e de outros combustíveis renováveis”.

O valor das exportações de etanol dos EUA foi de US$ 2,4 bilhões (cerca de R$ 7,8 bilhões) em 2017, 16% acima do valor de 2016 e o segundo maior já registrado. O etanol combustível não-desnaturado (puro) representou 60% das exportações totais, enquanto o etanol combustível desnaturado alcançou 36%. O etanol desnaturado e não-desnaturado para usos industriais constituiu os 4% restantes das exportações.

“A RFA continuará trabalhando com seus parceiros para quebrar as barreiras comerciais, expandir as oportunidades de exportação para os produtores dos EUA e educar os consumidores do mundo todo sobre os benefícios dos combustíveis renováveis com baixa emissão de carbono”, finaliza Dinneen.

Por sua vez, as importações de etanol nos Estados Unidos permaneceram baixas em 2017, com apenas 291,5 milhões de litros entrando no país. Quase todo o produto importado chegou pelos portos da Califórnia e foi usado para cumprir os requisitos do programa de combustíveis renováveis do estado (LCFS).

Confira matéria completa em NovaCana.com

REDES SOCIAIS_