[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular no Cenário do COVID-19
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

DIRETO DO BLOG
O Setor de Borracha na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Políticas públicas voltadas para Economia Circular:
Um olhar sobre as experiências na Europa e na China
DIRETO DO BLOG
Iniciativas de Economia Circular na Indústria do Aço
DIRETO DO BLOG
Potencial do Biogás no Gerenciamento de Resíduos
e Sua Inserção na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Cadeias Produtivas e Governança
no Contexto da Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Uma Visão dos Modelos de Negócios Circulares
DIRETO DO BLOG
Princípios, perspectivas e aplicação
do Chemical Leasing nos processos
de produção visando a sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular Além dos Horizontes
DIRETO DO BLOG
Logística Reversa na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
A Simbiose Industrial além das fronteiras
previous arrow
next arrow
Slider

Nestlé ganha certificação de impacto ambiental neutro

A Intertek Group, empresa especializada em inspeções de certificações, com sede em Londres, Reino Unido, concedeu o primeiro certificado para uma unidade fabril da empresa Nestlé. A unidade reconhecida foi a fábrica de cápsulas NESCAFÉ® Dolce Gusto®, instalada em Montes Claros, Minas Gerais, que recebeu a certificação de Impacto Ambiental Neutro em três dimensões: água, resíduos e emissão de carbono. Inaugurada em dezembro de 2015, com investimento inicial de R$ 220 milhões, a fábrica utiliza as mais modernas tecnologias para garantir o uso sustentável de recursos, em todas as etapas de fabricação.

A certificação atesta que a unidade fabril de Montes Claros não utiliza água potável oriunda da natureza em seus processos produtivos, destina 100% dos seus resíduos a processos de reciclagem (reaproveitamento e compostagem) e neutraliza 100% das suas emissões de gás de efeito estufa por meio de compensações.

Para chegar a esse resultado, a empresa alega que implementou inciativas inovadoras na unidade, como a reutilização da água extraída do processo de fabricação de leite condensado em sua fábrica vizinha de Leite Moça®, para suprir 100% da água utilizada no processo de produção das cápsulas. Em um ano, mais de 66 mil m³ de água potável deixaram de ser retirados da natureza.

Quando se trata dos resíduos, 65% de todo lixo gerado é reciclado, 30% passa pelo co-processamento, gerando combustível para outros processos, e 5% dos resíduos provenientes da limpeza do café seguem para compostagem. Na questão de emissão de gases, a Nestlé neutralizou cerca de 280 toneladas de CO² equivalente, resultantes do processo produtivo ao longo de um ano, por meio da compra de crédito de carbono em parceria com a WayCarbon e apoio ao projeto Amigo do Clima, que busca transparência e rastreabilidade de ações que contribuem para a mitigação das mudanças climáticas e do aquecimento global. Adicionalmente, a Nestlé mantém uma floresta na cidade de Mirabela, em Minas Gerais, com árvores que representam um estoque de carbono de cerca de 290.000 toneladas de CO2 equivalente.

As iniciativas desenvolvidas em Montes Claros fazem parte do compromisso da Nestlé com o respeito ao meio ambiente, pilar fundamental dentro de sua estratégia de Criação de Valor Compartilhado, que se baseia na premissa de que tão importante quanto gerar valor aos acionistas da companhia é gerar valor para as comunidades em que a empresa está inserida.

Fonte: Clube da Embalagem / MaxiQuim

REDES SOCIAIS_