[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular no Cenário do COVID-19
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

DIRETO DO BLOG
O Setor de Borracha na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Políticas públicas voltadas para Economia Circular:
Um olhar sobre as experiências na Europa e na China
DIRETO DO BLOG
Iniciativas de Economia Circular na Indústria do Aço
DIRETO DO BLOG
Potencial do Biogás no Gerenciamento de Resíduos
e Sua Inserção na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Cadeias Produtivas e Governança
no Contexto da Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Uma Visão dos Modelos de Negócios Circulares
DIRETO DO BLOG
Princípios, perspectivas e aplicação
do Chemical Leasing nos processos
de produção visando a sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular Além dos Horizontes
DIRETO DO BLOG
Logística Reversa na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
A Simbiose Industrial além das fronteiras
previous arrow
next arrow
Slider

M&G constrói planta piloto na Itália

Na terça-feira, ele visitou a UNICA, e o tema etanol celulósico foi tratado. Ao falar dos avanços na área, o executivo citou o grupo Mossi & Ghisolfi (M&G), fabricante de resinas PET, que constrói uma planta-piloto na Itália, com inauguração prevista para 2012 e capacidade de 50 milhões de litros de etanol de segunda geração por ano. Será a primeira com escala comercial, e a Novozymes é parceira da M&G. Nagy comentou que, no começo, o custo e a performance das enzimas eram vistos como problema, mas garante que houve avanço nas duas frentes.

O gerente de pesquisa e desenvolvimento da subsidiária, Benjamin Raerup Knudsen, calcula que com o etanol celulósico a oferta do produto pode aumentar de 25% a 40%. Ele explica que o combustível final é o mesmo, só muda o processo de fabricação. “Para uma planta entrar em operação em 2013, é preciso começar a construção agora“, diz, sobre a expectativa de que empresários invistam na área.

REDES SOCIAIS_