[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular no Cenário do COVID-19
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

DIRETO DO BLOG
O Setor de Borracha na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Políticas públicas voltadas para Economia Circular:
Um olhar sobre as experiências na Europa e na China
DIRETO DO BLOG
Iniciativas de Economia Circular na Indústria do Aço
DIRETO DO BLOG
Potencial do Biogás no Gerenciamento de Resíduos
e Sua Inserção na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Cadeias Produtivas e Governança
no Contexto da Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Uma Visão dos Modelos de Negócios Circulares
DIRETO DO BLOG
Princípios, perspectivas e aplicação
do Chemical Leasing nos processos
de produção visando a sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular Além dos Horizontes
DIRETO DO BLOG
Logística Reversa na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
A Simbiose Industrial além das fronteiras
previous arrow
next arrow
Slider

Pesquisas finalizadas no Parque Tecnológico de Sorocaba rendem as primeiras patentes

Os laboratórios de pesquisa instalados no Parque Tecnológico de Sorocaba (PTS) dão os primeiros resultados e já existem patentes registradas ou em fase de preparação para o registro. Alguns estudos finalizados no ambiente do parque abrem caminho para aplicação em novos produtos ou tecnologias. São duas patentes já registradas, uma pelo laboratório da indústria Bardella, de mecânica industrial, e outra do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (Cesar), instituto privado de inovação, informaram quarta-feira (12/02) o diretor de operações técnicas do PTS, Mário Tanigawa, e o presidente da agência Inova Sorocaba, Agliberto Chagas. O PTS promoveu quarta-feira (12/02) uma visita de jornalistas para divulgação de novos projetos e ampliação.

Há ainda um estudo farmacêutico do laboratório da Universidade de Sorocaba (Uniso) em fase final e cujo registro de patente deve ser feito em breve. O PTS foi inaugurado em junho de 2012 e foi recebendo laboratórios de universidades e empresas ao longo do ano passado. Os principais são nas áreas de energias alternativas, eletroeletrônica, metalmecânica, tecnologias de automação e softwares. O PTS tem, atualmente, 23 laboratórios, número que deve ser ampliado com a construção de mais um prédio, fora do projeto arquitetônico do prédio principal em forma de círculo – que está concluído pela metade.

A pesquisa do laboratório da Uniso é de um medicamento mucoadesivo para ser colado no céu da boca do paciente. O professor Marco Chaud explica que muitos pacientes sofrem com aftas e ferimentos na boca causados pela quimioterapia, conhecido tratamento contra o câncer. O efeito do medicamento é cicatrizar esses ferimentos. Já foi testado em pessoas, com os resultados esperados, segundo Chaud. O laboratório da Uniso trabalha com biomateriais e nanotecnologia e outra pesquisa em estágio avançado é de um tipo de medicamento retroviral, para portadores do vírus HIV.

Patentes

Sobre as duas patentes, da Bardella e do Cesar, não foram divulgados detalhes. O presidente da Inova informou ainda que o Poupatempo da Inovação, que funciona no PTS desde dezembro, auxilia para viabilizar a aplicação no mercado de duas patentes desenvolvidas fora do parque, uma sobre dispositivo para economia de água e outra sobre medicamento para redução da queda de cabelo.

O presidente do PTS e ex-prefeito de Sorocaba, Vitor Lippi, anunciou a construção de mais um prédio de 2.600 metros quadrados e que deverá custar R$ 4 milhões. Irá abrigar novos laboratórios. O novo prédio será construído fora do projeto do prédio principal. Lippi explicou que a conclusão de metade do anel – completando os 360 graus – do prédio principal ficará para mais tarde por causa do custo maior. De acordo com Lippi, a concentração de laboratórios de várias universidades num único parque tecnológico foi inovadora e isso atrai mais interesse. Ele disse que há possibilidade de abrigar laboratórios de universidades de outros países em Sorocaba, o que seria importante para a troca de experiências e tecnologias.

Lippi anunciou também a aquisição de uma plataforma de engenharia computacional, para simulação virtual de testes e desenvolvimento de novos produtos. Deverão ser três cópias do programa, dois para uso das universidades, que não pagarão pelo uso, e um para as empresas, que pagarão taxas conforme o tempo de uso. O presidente do PTS disse que o processo de licitação está sendo feito e a definição deve ocorrer em março. O programa tem custo estimado em R$ 800 mil, mas há negociação para redução desse valor. Segundo Lippi, poderão ser realizados ensaios de design, simulação, validade (durabilidade) e otimização de produtos. O sistema utilizará impressoras em 3D para reprodução das peças ou objetos em polímeros.

O presidente do PTS afirma que o investimento na plataforma de engenharia computacional irá economizar tempo e recursos de empresas e universidades, além de poder ser utilizado de maneira coletiva, com agendamento de dias e horários. A direção do PTS também pretende melhorar a integração entre os pesquisadores, com um restaurante e ambientes de socialização, como uma academia de ginástica, a exemplo do que ocorre em centros de pesquisa de outros países. Lippi ressalta que é importante a troca de ideias e experiências entre os pesquisadores.

Para Lippi, o País tem que correr para acompanhar os outros países em tecnologia e competitividade econômica. Ele deu exemplo de que em 2008 foram registradas quase 50 mil patentes nos Estados Unidos, 40 mil no Japão e, no Brasil, apenas 572. O País tem apenas 0,2% na participação mundial de registro de patentes, apesar de contar com 12 mil doutores, cita o presidente do PTS. Por ser um polo industrial, Sorocaba está inserida de maneira direta nesse contexto. “É algo semelhante ao que aconteceu com a indústria têxtil, que foi superada pela concorrência com as empresas chinesas.”

Fonte: Protec.org.br

REDES SOCIAIS_