[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]
DIRETO DO BLOG
Agricultura Regenerativa: uma perspectiva de modelo de negócio circular
DIRETO DO BLOG
Lançamento em breve do livro "Catalisando a Economia Circular"!
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular no Cenário do COVID-19
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

DIRETO DO BLOG
O Setor de Borracha na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Políticas públicas voltadas para Economia Circular:
Um olhar sobre as experiências na Europa e na China
DIRETO DO BLOG
Iniciativas de Economia Circular na Indústria do Aço
DIRETO DO BLOG
Potencial do Biogás no Gerenciamento de Resíduos
e Sua Inserção na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Cadeias Produtivas e Governança
no Contexto da Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Uma Visão dos Modelos de Negócios Circulares
DIRETO DO BLOG
Princípios, perspectivas e aplicação
do Chemical Leasing nos processos
de produção visando a sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular Além dos Horizontes
DIRETO DO BLOG
Logística Reversa na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
A Simbiose Industrial além das fronteiras
previous arrow
next arrow
Slider

Petrobras sairá dos setores de biocombustíveis, GLP, petroquímica e fertilizantes

O Plano de Negócios e Gestão para 2017/2021 da Petrobras, divulgado nesta terça-feira 20/09, inclui a saída da empresa de atividades de produção de biocombustíveis, gás liquefeito de petróleo (GLP), fertilizantes e da petroquímica.

Assim, a Petrobras planeja focar na produção de petróleo, sua atividade principal, e na exploração de águas profundas. Os investimentos previstos para os próximos 5 anos somam 74,1 bilhões de dólares, onde cerca de 82% deste total serão destinados à exploração de petróleo e produção. A quantia é 25% menor do que o previsto no plano para 2015/2019, divulgada em janeiro.

A meta de desinvestimentos atinge 19,5 bilhões de dólares para o biênio de 2017/2018, 29% maior do que o projetado em vendas de ativos no biênio de 2015/2016, dos quais apenas um terço já foi efetivado.

Os desinvestimentos devem abranger a BR Distribuidora e a participação da Petrobras na Braskem. No setor de biocombustíveis, onde a Petrobras tem capacidade de produção total estimada de 1,65 bilhão de litros de etanol/ano, a empresa possui participação em sete usinas de cana da Guarani Tereos, Açúcar & Energia Brasil, uma das maiores empresas do setor de cana do país, possui 49% da Usina Boa Vista em sociedade com o grupo São Martinho e uma fatia na Usina Bambuí, em parceria com a Bambuí Bioenergia.

A Petrobras possui ainda uma capacidade total de produção de 821 milhões de litros de biodiesel/ano, com três usinas próprias (MG, BA e CE) e parte da BSBIOS (PR e RS). A participação da Petrobras em parceria com a portuguesa Galp na Belém Bioenergia Brasil, empresa que deverá produzir óleo de palma no Pará para produção de diesel em Portugal, também deve fazer parte dos desinvestimentos.

Existem potenciais interessados nos ativos da Petrobras, como seus concorrentes do setor de biocombustíveis que poderão ampliar sua fatia de mercado. O setor de fertilizantes deve ser o mais desafiador para o plano da Petrobras.

Fonte: MaxiQuim

REDES SOCIAIS_