[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular no Cenário do COVID-19
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

DIRETO DO BLOG
O Setor de Borracha na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Políticas públicas voltadas para Economia Circular:
Um olhar sobre as experiências na Europa e na China
DIRETO DO BLOG
Iniciativas de Economia Circular na Indústria do Aço
DIRETO DO BLOG
Potencial do Biogás no Gerenciamento de Resíduos
e Sua Inserção na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Cadeias Produtivas e Governança
no Contexto da Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Uma Visão dos Modelos de Negócios Circulares
DIRETO DO BLOG
Princípios, perspectivas e aplicação
do Chemical Leasing nos processos
de produção visando a sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular Além dos Horizontes
DIRETO DO BLOG
Logística Reversa na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
A Simbiose Industrial além das fronteiras
previous arrow
next arrow
Slider

Mercado de Fertilizantes pode bater recorde

O mercado de fertilizantes no Brasil deve continuar em franco crescimento em 2017, com a possibilidade de quebrar o recorde histórico, de acordo com previsões de empresas do setor. O aumento esperado é de 3%, representando 35 milhões de toneladas comercializadas durante o ano, e deve ser puxado principalmente pela produção de milho. O cereal foi afetado pela seca de 2016 e apresenta está apresentando sinais de recuperação.

No ano passado o setor já havia apresentado uma forte elevação de quase 13%, principalmente porque 2015 foi um período atípico em que ocorreu queda nas movimentações. Este crescimento previsto para 2017 deve-se ao aumento esperado de 17,4% na produção e ao 1,2 milhão de novos hectares semeados. A recuperação do setor tem sido percebida desde o final do ano passado, cujo último trimestre apresentou aumento expressivo de 27% e foi o responsável por encerrar o período em alta. Os resultados não são melhores pelo fraco desempenho do café, que começou a decair aproximadamente no mesmo período em que o milho voltou a crescer.

Destaca-se a mudança no perfil de consumos destes fertilizantes. O agricultor tem cada vez mais optado por produtos de maior valor agregado e características diferenciadas, em detrimento dos convencionais. Nos últimos três meses de 2016, ocorreu um aumento de 16% na procura por nutrientes especiais, enquanto que os fertilizantes comuns viram queda de 21%.

REDES SOCIAIS_