[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular no Cenário do COVID-19
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

DIRETO DO BLOG
O Setor de Borracha na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Políticas públicas voltadas para Economia Circular:
Um olhar sobre as experiências na Europa e na China
DIRETO DO BLOG
Iniciativas de Economia Circular na Indústria do Aço
DIRETO DO BLOG
Potencial do Biogás no Gerenciamento de Resíduos
e Sua Inserção na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Cadeias Produtivas e Governança
no Contexto da Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Uma Visão dos Modelos de Negócios Circulares
DIRETO DO BLOG
Princípios, perspectivas e aplicação
do Chemical Leasing nos processos
de produção visando a sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular Além dos Horizontes
DIRETO DO BLOG
Logística Reversa na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
A Simbiose Industrial além das fronteiras
previous arrow
next arrow
Slider

Governo americano reverte decisão e permite construção de oleoduto

O presidente Donald Trump reverteu uma decisão de seu antecessor e concedeu permissão para que a TransCanada construa o oleoduto Keystone XL, de acordo com sua promessa de campanha de dar apoio às empresas do setor energético. O projeto canadense tem 1,9 mil quilômetros e chegará a estados do interior americano, como Montana, Dakota do Sul e Nebraska. A empresa ainda terá de obter outras permissões dentro destes estados para dar início à construção do oleoduto, que poderá transportar 830 mil barris de petróleo por dia.

 

A instalação deste e de outro grande oleoduto, o Dakota Access (470 mil barris diários), geraram controvérsia nos Estados Unidos. Com a crescente preocupação com os efeitos dos combustíveis fósseis no clima, a administração de Barack Obama colocou barreiras sobre estes investimentos, os quais Trump diz serem necessários para a economia e independência energética nacional. Uma das contrapartidas exigidas pelo atual presidente foi de que mais aço de origem americana seja utilizado na construção.

 

A TransCanada ainda poderá ter dificuldades, apesar do apoio presidencial. Antes do projeto ser totalmente barrado por Obama, o estado de Nebraska já estava criando dificuldades para sua construção, devido ao desagrado de proprietários de terras que estariam no caminho do oleoduto. Agora, a companhia canadense reapresentou seu pedido de permissão ao estado e poderá ter de passar por revisões antes da aprovação. De acordo com especialistas do setor, grupos ambientalistas e proprietários afetados devem tentar atrasar o projeto com ações legais, mesmo que seja improvável que conseguiam vencer nos tribunais.

 

Fonte: Maxiquim

REDES SOCIAIS_