[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]
DIRETO DO BLOG
Agricultura Regenerativa: uma perspectiva de modelo de negócio circular
DIRETO DO BLOG
Lançamento em breve do livro "Catalisando a Economia Circular"!
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular no Cenário do COVID-19
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

DIRETO DO BLOG
O Setor de Borracha na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Políticas públicas voltadas para Economia Circular:
Um olhar sobre as experiências na Europa e na China
DIRETO DO BLOG
Iniciativas de Economia Circular na Indústria do Aço
DIRETO DO BLOG
Potencial do Biogás no Gerenciamento de Resíduos
e Sua Inserção na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Cadeias Produtivas e Governança
no Contexto da Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Uma Visão dos Modelos de Negócios Circulares
DIRETO DO BLOG
Princípios, perspectivas e aplicação
do Chemical Leasing nos processos
de produção visando a sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular Além dos Horizontes
DIRETO DO BLOG
Logística Reversa na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
A Simbiose Industrial além das fronteiras
previous arrow
next arrow
Slider

ExxonMobil irá construir nova planta em Singapura

A companhia ExxonMobil Chemical vai construir uma fábrica de autoadesivos hidrogenados do mundo, em seu complexo petroquímico de Cingapura. A nova planta terá capacidade de 90 mil toneladas por ano, o que significa aproximadamente dobrar a capacidade da empresa na fabricação de resina Escorez 5000 alta performance para produtores de adesivos hot melt de todo o mundo. A planta terá 40% mais capacidade do que a maior indústria de autoadesivos hidrogenados existente hoje.

O complexo da ExxonMobil de Singapura oferece uma plataforma única para a produção de autoadesivos hidrogenado. A unidade possui dois crakers a vapor que utilizam tecnologia própria para processar uma gama de matérias primas, incluindo petróleo bruto. O craqueamento do petróleo bruto produz uma vasta gama de subprodutos que podem ser melhorados para especialidades químicas como resinas premium para aplicações adesivas.

A unidade irá possuir um sistema de reator de hidrogenação para produção de autoadesivos premium. A planta prodizirá também resinas de usos não autoadesivos. A construção está prevista para iniciar no segundo semestre de 2014 e com previsão de conclusão para 2017.

A companhia é reconhecida como uma das principais detentoras globais de alta qualidade e tecnologias avançadas para polímeros e autoadesivos para a indústria de adesivos hot melt. E acredita que a demanda destes para os próximos 15 anos deva dobrar, e grande parte do crescimento é previsto para a Ásia, onde os setores demandantes exigem cada vez mais alto desemprenho e baixos custos dos adesivos hot melt.

As resinas hidrogenadas Escorez 5000 são os autoadesivos de escolha para aplicações onde se exige baixo nível de odor, cor, estabilidade térmica e compatibilidade com polímeros.

Fonte: MaxiQuim

ExxonMobil irá construir nova planta em Singapura

A companhia ExxonMobil Chemical vai construir uma fábrica de autoadesivos hidrogenados do mundo, em seu complexo petroquímico de Cingapura. A nova planta terá capacidade de 90 mil toneladas por ano, o que significa aproximadamente dobrar a capacidade da empresa na fabricação de resina Escorez 5000 alta performance para produtores de adesivos hot melt de todo o mundo. A planta terá 40% mais capacidade do que a maior indústria de autoadesivos hidrogenados existente hoje.

O complexo da ExxonMobil de Singapura oferece uma plataforma única para a produção de autoadesivos hidrogenado. A unidade possui dois crakers a vapor que utilizam tecnologia própria para processar uma gama de matérias primas, incluindo petróleo bruto. O craqueamento do petróleo bruto produz uma vasta gama de subprodutos que podem ser melhorados para especialidades químicas como resinas premium para aplicações adesivas.

A unidade irá possuir um sistema de reator de hidrogenação para produção de autoadesivos premium. A planta prodizirá também resinas de usos não autoadesivos. A construção está prevista para iniciar no segundo semestre de 2014 e com previsão de conclusão para 2017.

A companhia é reconhecida como uma das principais detentoras globais de alta qualidade e tecnologias avançadas para polímeros e autoadesivos para a indústria de adesivos hot melt. E acredita que a demanda destes para os próximos 15 anos deva dobrar, e grande parte do crescimento é previsto para a Ásia, onde os setores demandantes exigem cada vez mais alto desemprenho e baixos custos dos adesivos hot melt.

As resinas hidrogenadas Escorez 5000 são os autoadesivos de escolha para aplicações onde se exige baixo nível de odor, cor, estabilidade térmica e compatibilidade com polímeros.

Fonte: MaxiQuim

REDES SOCIAIS_