[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]
DIRETO DO BLOG
Lançamento em breve do livro "Catalisando a Economia Circular"!
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular no Cenário do COVID-19
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

DIRETO DO BLOG
O Setor de Borracha na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Políticas públicas voltadas para Economia Circular:
Um olhar sobre as experiências na Europa e na China
DIRETO DO BLOG
Iniciativas de Economia Circular na Indústria do Aço
DIRETO DO BLOG
Potencial do Biogás no Gerenciamento de Resíduos
e Sua Inserção na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Cadeias Produtivas e Governança
no Contexto da Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Uma Visão dos Modelos de Negócios Circulares
DIRETO DO BLOG
Princípios, perspectivas e aplicação
do Chemical Leasing nos processos
de produção visando a sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular Além dos Horizontes
DIRETO DO BLOG
Logística Reversa na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
A Simbiose Industrial além das fronteiras
previous arrow
next arrow
Slider

Israelense Teva oferece mais de US$ 40 bilhões pela Mylan

A farmacêutica israelense Teva ofereceu US$ 40,1 bilhões em dinheiro e ações pela Mylan em acordo que deve criar uma gigante de desenvolvimento de medicamentos genéricos.

Se a Teva conseguir comprar a Mylan sob a oferta anunciada nesta terça-feira, a companhia pode garantir uma posição dominante uma vez que toma a Mylan de uma lista crescente de concorrentes.

A Teva também ganha competitividade contra rivais como Sun Pharma, que se consolidou em uma posição melhor quando assumiu uma participação controladora na rival Ranbaxy em 2014.

Na sexta-feira passada, a Mylan tinha dito que as autoridades regulatórias antitruste não aprovariam um acordo com a Teva porque seus negócios coincidem em vários campos. Mas disse que avaliaria uma oferta se a recebesse.

A Teva permanece determinada. O presidente da companha israelense, Erez Vigodman, disse estar confiante que qualquer exigência regulatória necessária para completar o acordo “será atendida de maneira apropriada”.

A Teva ofereceu US$ 82 por ação, um prêmio de 21% sobre o preço de fechamento da Mylan na segunda-feira.

No começo do mês, a Mylan propôs a compra da fabricante de ingredientes e medicamentos genéricos Perrigo por US$ 29 bilhões. A Perrigo, com sede na Irlanda, disse que vai rever a oferta da Mylan.

A oferta da Teva é contingente com a Mylan não completar o acordo proposto com a Perrigo.

Mais da metade da receita da Teva vem de drogas genéricas. A Mylan, por sua vez, tem mais de 1,4 mil medicamentos e 25 mil funcionários.

O conselho da Teva aprovou por unanimidade a proposta envolvendo a Mylan, que não requer voto dos acionistas da empresa israelense.

Fonte: Associated Press / Valor

REDES SOCIAIS_