[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular no Cenário do COVID-19
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

DIRETO DO BLOG
O Setor de Borracha na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Políticas públicas voltadas para Economia Circular:
Um olhar sobre as experiências na Europa e na China
DIRETO DO BLOG
Iniciativas de Economia Circular na Indústria do Aço
DIRETO DO BLOG
Potencial do Biogás no Gerenciamento de Resíduos
e Sua Inserção na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Cadeias Produtivas e Governança
no Contexto da Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Uma Visão dos Modelos de Negócios Circulares
DIRETO DO BLOG
Princípios, perspectivas e aplicação
do Chemical Leasing nos processos
de produção visando a sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular Além dos Horizontes
DIRETO DO BLOG
Logística Reversa na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
A Simbiose Industrial além das fronteiras
previous arrow
next arrow
Slider

Biopalma, da Vale, inaugura usina de extração de óleo de palma no PA

   A usina extratora de óleo de palma (dendê) da Biopalma da Amazônia, empresa da Vale em parceria com o grupo MSP, será inaugurada hoje. A inauguração ocorre no município de Moju (PA), a 150 quilômetros de Belém. Segundo a Vale, a usina é a primeira de duas unidades que serão construídas para extrair óleo.

   Além disso, segundo a mineradora brasileira, será construída uma unidade industrial para transformar o óleo em biodiesel a partir de 2015. O investimento total do empreendimento é de US$ 500 milhões, informou a Vale.

   O projeto de óleo de palma tem por objetivo suprir a demanda de biodiesel para a utilização de B20 (20% de biodiesel e 80% de diesel comum) na  frota de locomotivas, máquinas e equipamentos da Vale. A empresa lembrou, em comunicado, que a legislação brasileira estabelece uso da mistura de, no mínimo, 5% de biodiesel (B5).

   De acordo com a companhia, a usina tem capacidade de extração de 120 toneladas por hora de cachos de fruto fresco (CFF), o que representa cerca de 25 toneladas por hora de óleo.

   Segundo cálculos da Vale, a  capacidade de geração de energia limpa da planta é de 11 megawatts (MW), dos quais 3,5 MW serão utilizados na usina e o excedente poderá ser disponibilizado à concessionária de energia do Estado do Paraná.

   Quase todos os resíduos formados ao longo da cadeira produtiva serão reaproveitados pela própria indústria na geração de energia renovável e no processo de adubação do plantio da palma, informou. Será feito o reaproveitamento dos cachos vazios e das cinzas da caldeira, que retornarão à área agrícola para serem usados na adubação orgânica.

Fonte: Valor Econômico

REDES SOCIAIS_