[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular no Cenário do COVID-19
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

DIRETO DO BLOG
O Setor de Borracha na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Políticas públicas voltadas para Economia Circular:
Um olhar sobre as experiências na Europa e na China
DIRETO DO BLOG
Iniciativas de Economia Circular na Indústria do Aço
DIRETO DO BLOG
Potencial do Biogás no Gerenciamento de Resíduos
e Sua Inserção na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Cadeias Produtivas e Governança
no Contexto da Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Uma Visão dos Modelos de Negócios Circulares
DIRETO DO BLOG
Princípios, perspectivas e aplicação
do Chemical Leasing nos processos
de produção visando a sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular Além dos Horizontes
DIRETO DO BLOG
Logística Reversa na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
A Simbiose Industrial além das fronteiras
previous arrow
next arrow
Slider

Audi inova e cria molas de plástico reforçadas com fibra de vidro

A empresa Audi, anunciou que uma nova geração de molas helicoidais que devem substituir as tradicionais molas de aço. As molas são de fibras de vidro reforçadas com polímero (PRFV), visando diminuir o peso e o custo dos veículos futuros.

As molas serão fabricadas com tecnologia própria da Audi, o núcleo das mesmas serão confeccionados em fibra de vidro elástica torcidas em conjunto e impregnadas com resina epóxi envolta em uma casca protetora de plástico. A empresa anunciou que a produção deve iniciar ainda este ano e deve ser utilizada inicialmente em um modelo Audi classe executiva.

As molas foram desenvolvidas em parceria com um fornecedor italiano e sua principal razão é a diminuição do peso, são em torno 40% mais leves do que a tradicional e tão duráveis quanto. A redução do peso permite que a suspensão reaja rapidamente as mudanças na superfície da estrada e com isso absorva as imperfeições de forma mais eficaz. Com a substituição de quatro molas da versão tradicional pelas de fibra de carbono, o peso do carro será reduzido em aproximadamente 4,4 kg.

Outro benefício de utilizar as molas de PFRV, é o fato delas apresentarem resistência a corrosão, mesmo após serem lascadas por pedras. O material também possui uma resistencia química interessante, não sendo afetado por produtos químicos presentes em produtos de limpeza de rodas, por exemplo.

Fonte: MaxiQuim

REDES SOCIAIS_