[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]
DIRETO DO BLOG
Lançamento em breve do livro "Catalisando a Economia Circular"!
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular no Cenário do COVID-19
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Chemical Leasing,
um olhar na Química Verde e na Sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

DIRETO DO BLOG
O Setor de Borracha na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Políticas públicas voltadas para Economia Circular:
Um olhar sobre as experiências na Europa e na China
DIRETO DO BLOG
Iniciativas de Economia Circular na Indústria do Aço
DIRETO DO BLOG
Potencial do Biogás no Gerenciamento de Resíduos
e Sua Inserção na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Cadeias Produtivas e Governança
no Contexto da Economia Circular
DIRETO DO BLOG
Uma Visão dos Modelos de Negócios Circulares
DIRETO DO BLOG
Princípios, perspectivas e aplicação
do Chemical Leasing nos processos
de produção visando a sustentabilidade
DIRETO DO BLOG
A Economia Circular Além dos Horizontes
DIRETO DO BLOG
Logística Reversa na Economia Circular
DIRETO DO BLOG
A Simbiose Industrial além das fronteiras
previous arrow
next arrow
Slider

Setor químico fecha mais de mil unidades em 20 anos

Combalida pela concorrência da importação, a indústria química brasileira já fechou 1.470 unidades produtivas no País, desde o Plano Collor até 2011, segundo estudo da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), que será finalizado nos próximos meses.

Uma fábrica pode reunir várias unidades de produção. O reflexo disso na balança comercial do setor tem sido um aumento de US$ 11 bilhões de dólares por ano nas importações, segundo Fernando Figueiredo, presidente da entidade.

As importações brasileiras de químicos giram em torno de US$ 33 bilhões ao ano. Até maio, US$ 15 bilhões foram importados pelo País. O estudo mostra que as principais causas são as perdas de competitividade devido à matéria-prima que entra com preços inadequados, além de distorção tributária.

O mercado brasileiro de produtos químicos cresceu 7,7% nos últimos 12 meses até julho, enquanto a produção do País caiu 1,9%. “E as importações cresceram 27,9%”, afirma.

Pela primeira vez, na semana passada, a Abiquim se reuniu com representantes de sindicatos de trabalhadores da indústria para estabelecer uma estratégia conjunta sobre as necessidades do setor. O levantamento será posteriormente enviado ao Governo. A ideia é pedir a criação de um conselho de competitividade do setor.

 

Fonte: Folha de S. Paulo – 05/09/11

 

REDES SOCIAIS_